Algoritmo

Algoritmo e personalização na indústria de conteúdo

Qual papel os algoritmos desempenham em sua vida cotidiana? Certamente eles têm mais importância do que você pensa. Quando você digita uma pesquisa no Google para fazer um trabalho acadêmico, recebe um anúncio de um calçado esportivo com desconto no seu email, pergunta a um assistente virtual onde comer sushi hoje à noite, conversa com um chatbot comercial para comprar ingressos para um show ou dá uma olhada nas recomendações da Netflix para assistir a um filme com uma boa tigela de pipoca, esteja certo que há um algoritmo por trás.

Em sua definição mais simples, um algoritmo é um “conjunto ordenado de operações sistemáticas que permite fazer um cálculo e encontrar a solução para um tipo de problema“. Para explicar mais facilmente, constitui uma série de instruções executadas por uma máquina para resolver uma tarefa. Por exemplo, um PC de 4 gigahertz é capaz de fazer 4 bilhões de operações por segundo.

Ligado ao Big Data – dados são o petróleo do século XXI -, a alta penetração de dispositivos móveis, tecnologias como 4G ou 5G ou a Internet das Coisas – a tecnologia de hiperconectividade por trás de casas inteligentes, carros conectados ou cidades inteligentes -, os algoritmos são cada vez mais complexos e sofisticados.

Focando na indústria de conteúdo, vamos falar para você curiosidades do algoritmo de empresas como Netflix, Google ou Spotify.

Spotify, música para todos os momentos: Se você tem uma conta no Spotify, você terá a oportunidade de desfrutar de seu serviço top com recomendações absolutamente personalizadas, atrás das quais há um ótimo trabalho de software, pesquisa e inovação. 4 de cada 10 empregados da empresa são dedicados à engenharia e codificação. Graças a este investimento, o gigante do streaming fornece-lhe a descoberta semanal esperada, listas de reprodução adaptadas a situações específicas – como cantar no chuveiro ou sair para a festa – e um alto grau de personalização resultante da customização de conteúdos, processamento de linguagem natural, escolhas dos editores e algoritmos baseados no seu gosto pessoal.

spotify

Netflix, o algoritmo que te prende: Recomendações por percentagem de coincidência ou baseadas nos seus filmes e séries favoritas… Netflix sempre te deixa viciado e acaba encadeando um capítulo após o outro em sua viciante e confortável plataforma de conteúdo à la carte. Qual é a chave para o seu sucesso? Combinação de dados do usuário, um algoritmo sofisticado e aprendizado automático. Para fazer recomendações, a plataforma leva em consideração seu histórico de navegação e visualização, sua maneira de interagir, os dados de outros usuários, suas categorias favoritas ou até mesmo o horário em que você consome conteúdo ou os dispositivos que você escolhe para ele.

netflix

Google, cada vez mais humano e preciso: O gigante das ferramentas de busca usa vários algoritmos constantemente atualizados para responder às suas buscas com mais precisão. Eles se destacam nos últimos tempos com a atualização do Google para dispositivos móveis    -desde abril de 2015- e o Google RankBrain, um sistema líder que usa inteligência artificial e aprendizado de máquina para decidir o pedido em que os resultados da pesquisa são exibidos, dando prioridade aos conteúdos de valor de forma natural para satisfazer as necessidades dos usuários. O Google dá importância à sua localização geográfica, buscas por voz, seu histórico ou idioma natural para solucionar suas dúvidas e problemas. Um exemplo global e colossal do poder do algoritmo.

 

‹ Voltar